Olá Visitante! Bem-Vindo ao Coletivo Editorial

Minha Conta | Meu Carrinho 0

Bem-Vindo ao Coletivo Editorial

Categorias
Obra
Home
 
Coletivo-Editorial-Reinado.jpg

Reinado e Poder no Sul de Minas Gerais

Maria José de Souza - Tita

 

ISBN: 978-85-71606-68-5

 

360 páginas

 

Tamanho: 26 X 20 cm

R$ 70,00

ou 3x R$ 23,33 sem juros

ou compre partes separadas:

 

Descrição

Esta obra é um registro histórico-cultural da ação de negros e negras que, reunidos para celebrar a devoção dos santos negros no Sul das Minas Gerais, foram capazes de perpetuar a memória dos Caiapós, dos Moçambiques, dos congados e dos seus fazeres na construção do Reinado.

 

''A congada, como expressão maior no Sul de Minas, de grupo organizado, tamb´me é revista nos seus pontos mais agudos e recônditos, com o intento de trazer à tona a aplicação da análise crítica, não como fato pitoresco, narrado por imagens descritas e ufanas, porém como cultura que admite uma visão ótica muito mais profunda e extenuante.

 

a partir de um objetivo bem definido, Maria José de Souza lança mão da crítica histórica, fato que nos leva, de imediato, a compreender a tessitura sociológica da imagem estereotipada do negro do Brasil.

 

A este negro que formou o Brasil, portanto, nossos mais humildes agradecimentos pela confirmação tão rica de culturas dominantes. 

 

À sua vivência de dançador de congado, foi feita uma análise da dominação branca levada aos seus últimos efeitos, de cujo contextual o negro conseguiu sobreviver a sua origem de cultura por meio de um ''Batuque'' escondido, que sangra pelo som de Zabumba.

 

Os depoimentos dos informantes são suficientes para situar esse desenrolar histórico; a sua linguagem é a prefiguração de sua tomada de cosnciência crítica.

 

O todo alcançado pode levar a História, de certa forma, a reconsiderar muitos fatos, numa reversão terrível que pode, inclusive, magoar suas diferentes nuances de branqueamentos.

 

Ao Brasil mestiço, portanto, o exame de dicotomias e dualismos que levaram o negro, como classe à margem e, portanto, organizado, a assumir o polo privilegiado da sua identidade: negritude''.

 

Darcy Ladeira Dias

Sugestões
Todos os direitos reservados - Coletivo Editorial